Presente no clipe de Perry, Gretchen é ícone pop sem ter hit já há 35 anos - Melody FM 94.1 - Ribeirão Preto/SP  
ouça a Melody:
Ouça pela Internet
Ouça em seu Android
Ouça em seu dispositivo Apple
acompanhe a Melody 94.1
Siga no Twitter
Perfil no Facebook
Instagram Melody 94.1

Presente no clipe de Perry, Gretchen é ícone pop sem ter hit já há 35 anos

04/07/2017

O universo pop dá voltas. Ninguém poderia supor que, em 2017, Maria Odete Brito de Miranda ganharia projeção mundial ao marcar presença em clipe da cantora norte-americana Katy Perry. Mas o fato, incrível, é que a imagem rebolativa de Gretchen – nome artístico da cantora carioca também conhecida pelo epíteto de Rainha do bumbum – vai rodar o mundo no clipe de Swish swish (Katy Perry, Nick Minaj, Adam Dyment, Sarah Hudson, Brittany Hazzard), música lançada por Perry em maio. Gravado por Gretchen em Salvador (BA), ao lado de seis bailarinos do grupo baiano FitDance, o clipe está sendo lançado hoje (clique aqui para assistir ao vídeo através do G1).

Quase tão curioso quanto a participação estelar de Gretchen no clipe de Katy Perry é o fato de a artista ter se mantido como um ícone pop brasileiro ao longo de quase 40 anos de carreira sem ter um hit há pelo menos 35 anos. Sim, o último sucesso de Gretchen, Melô do piripipi (Je suis la femme), foi lançado em 1982.

Trata-se de tema de autoria do argentino Santiago Malnati, o Mister Sam, empresário que descobriu Gretchen em programa de calouros em que ela interpretava Dance a little bit closer (1977), hit emplacado há 40 anos na era das discotecas pela efêmera cantora Charo – nome artístico da espanhola María del Rosario Mercedes Pilar Martínez Molina Baeza.

Foi Mister Sam quem moldou a imagem de Gretchen, lançada no mercado fonográfico brasileiro em 1978 com compacto simples que trouxe Dance with me (Mister Sam), música que remetia à batida do hit de Charo. A música fez sucesso naqueles frenéticos dancin' days. Contudo, Gretchen conseguiria maior projeção nos anos seguintes com os lançamentos de Freak le boom boom (Mister Sam, 1979) e de Conga, conga, conga (Mister Sam, 1980), a melhor gravação da artista pelo toque contagiante de latinidade.

Sem grandes dotes vocais, Gretchen conquistou o Brasil com gemidos e rebolados sensuais que faziam parte do show da artista em números de programa de TV. Mas os sucessos ficaram confinados no breve período que foi de 1978 a 1982. Deste ano de 1982 em diante, a carreira fonográfica de Gretchen entrou em declínio. Nem um samba-rock lhe dado de presente por ninguém menos do que Jorge Ben Jor – Ela tem raça, charme, talento e gostosura, gravado pela cantora em disco de 1983 com a participação de Luís Vagner, ícone do samba-rock – reverteu a queda livre da discografia da artista.

Só que Gretchen voltou, aos poucos, como celebridade, participante de reality shows. Factoides a mantiveram na mídia. E, como a estrela tem mesmo charme e gostosura aos olhos do público masculino (e, pelo visto, aos de Katy Perry), Gretchen foi sobrevivendo de manchete em manchete e virou um ícone pop. Até parar num clipe de Katy Perry, prova de que, sim, o universo pop da muitas voltas.

fonte: G1 Música

Voltar

 



Melody FM 94.1 - Ribeirão Preto

 

Av. Nove de Julho, 600
Higienópolis
Ribeirão Preto-SP
cep: 14.025-000
Fone: (16) 2101-3500

Acompanhe a Melody no twitter
Nosso perfil no Facebook
Instagram Melody 94.1
Todos os direitos reservados - Sistema Clube de Comunicação © 2017